Crítica | Mulher-Maravilha

Por Bruna Elias 17/06/2017 - 14:30 hs

O filme solo tão esperado da Mulher-Maravilha, finalmente chega as telas de cinema depois de 75 anos de sua primeira aparição nos quadrinhos.

A trama conta a história de Diana Prince (Gal Gadot), que foi treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível, conhecida como a princesa do Amazonas, onde nunca saiu da ilha paradisíaca. Quando o piloto Steve Trevor (Chris Pine) sofre um acidente e cai em uma praia próxima, Diana descobre que uma guerra está se espalhando pelo mundo, então ela decide finalmente deixar o local para parar o conflito.

O longa-metragem chega aos cinemas para quebrar paradigmas e qualquer preconceito.  O filme foge das regras tradicionais e traz uma história empolgante, mesmo com as características dos personagens dos quadrinhos.

Um dos principais pontos do sucesso do filme Mulher-Maravilha, é com certeza a escolha de Gal Gadot para interpretar a heroína, mesmo não sendo o nome mais conhecido entre as candidatas, Gal será associada por muito tempo ao longa-metragem. É uma atriz em plena ascensão.

A diretora do filme, Patty Jenkins, retrata muito bem todos os conflitos internos e externos de Diana, mostrando profundo conhecimento sobre a Mulher-Maravilha. O filme não cansa, tem uma ótima narrativa e doses de humor. O longa-metragem cumpre o papel de apresentar a heroína e é também revigorante para o universo cinematográfico da DC.