Já que é na matemática, vamos aos números

Mesmo nos números, Tigre possui chances remotas

Por Eduardo Madeira 25/10/2017 - 21:07 hs
Já que é na matemática, vamos aos números
Foto: Caio Marcelo | Criciúma E.C.

Tenho dito nesta coluna já há algum tempo que o Criciúma precisa ser honesto com o torcedor e parar de falar em acesso à Série A. Parte da instabilidade criada dentro do clube surge exatamente dessa crise de expectativa, que fez a diretoria acreditar que poderia subir com o elenco atual.

 

Dentro das circunstâncias, como a qualidade do time, os erros da direção na montagem do plantel e em decisões pontuais na comissão técnica, ficar na Série B é mesmo o patamar mais alto que o clube poderia chegar nesta temporada. Ignorando tudo isso, foi sustentado um discurso de lutar pelo acesso, brigar até o final, como forma de afagar a torcida e imprensa que, provavelmente, não aceitaria um linha de pensamento que, para muitos, seria “pequena”, mas condizente com a realidade criciumense.

 

Atualmente, mesmo com três derrotas consecutivas, na 9ª colocação e a 14 pontos de distância do G4 (com um jogo a menos), seguem ainda falando em acesso – mesmo estando mais perto da zona de rebaixamento, sete pontos. O apego agora é na matemática, nas chances remotas de promoção.

 

Pois bem, se a vontade do clube agora é alimentar as esperanças meramente nas probabilidades matemáticas, vamos a elas. Após 31 rodadas, o Tigre ocupa a 9ª colocação, com 42 pontos. O Ceará, que caiu para a 4ª colocação com a vitória do Paraná, na terça (24), tem 55, 14 a mais. Ambos ainda têm um jogo a fazer e a distância pode aumentar ou diminuir. Mas o fato é que, no atual momento, são 14 de diferença.

 

Três sites de estatísticas foram consultados para fazer o levantamento: o Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o Chance de Gol e o Infobola. Vamos aos dados:

 

Chances de acesso:

 

- UFMG: 0,13%

- Chance de gol: 0,06%

- Infobola: 0%

 

Chances de rebaixamento:

 

- UFMG: 0,23%

- Chance de gol: 0,1%

- Infobola: 1%

 

Outro levantamento feito utilizou como base os dados da UFMG e a possibilidade de pontos que o Criciúma pode somar. Vencendo todos os sete jogos que tem pela frente, o Tigre chega a 63 pontos. Com essa pontuação, a chance de acesso é de 81,1%. Mas isso varia de cálculo para cálculo, porque o Chance de Gol coloca 64 pontos como a cota mínima para ter alguma chance razoável (60%, mais precisamente) de subir.

 

Com toda essa numeralha, ficou claro como esse discurso de acesso não pode ser sustentado dentro do clube. Isso mostra como o Criciúma vive em um mundo paralelo ao do resto do mundo.

 

Agora com todos os números, e não apenas letras, foi mostrado que falar no Criciúma entre os quatro primeiros colocados da Série B já não é mais sonho, meta ou objetivo. É delírio, simples assim.